Motorista alega ter sido atingido por bala de borracha. 

 

Após o grave acidente que ocorreu na noite de ontem na BR 367, por volta das 19 horas, onde um grupo de motoristas do transporte alternativo realizava protesto contra multas recebidas  por parte da PM, através do bloqueio da rodovia, e após a determinação do governador Rui Costa e da  enérgica atuação de policiais da Caema, vários motoristas reclamam de uma suposta violência usada pela PM.

Embora sejamos contra qualquer tipo de violência, afinal, depois de um acidente das proporções do que o que aconteceu, quando 4 carros teriam sido atingidos  e  com vários feridos – a notícia sobre a morte de uma das vítimas não foi confirmada até o presente momento – é de perguntar como que os motoristas, considerados arruaceiros e clandestinos por grande parte da sociedade – infelizmente é essa a imagem que muitos têm, sobretudo após uma situação trágica destas -  queriam que a polícia agisse, se eles, intransigentes, não queriam diálogo com ninguém? Até mesmo o presidente da OAB, José Arruda, tentou serenar os ânimos e sequer foi ouvido.

 

Um dos veículos envolvido no grave acidente

 

 

 Botando todos pra correr

De acordo com as informações, a PM chegou com tudo, projetando bombas de efeito moral e até mesmo tiros com balas de borracha, conforme comprovam as fotos mandadas ao Big Blog. Além disso, a PM teria apreendido mais de 60 carros e os levados,  parte para a Polícia Rodoviária Federal, em Eunápolis, e outra parte teria sido destinada à garagem da prefeitura de Porto Seguro.

Porém, ainda de acordo com manifestantes, vários carros teriam tido seus pneus furados a faca pela polícia, bem como vários vidros teriam sido quebrados na ação, com os motoristas embrenhando-se em matagais para fugir à ação policial.

 

Arrancando as plotagens

Temerosos de que pudesse haver alguma retaliação ainda maior contra o transporte alternativo, motoristas passaram o dia de hoje arrancando a plotagem de seus veículos, enquanto os dirigentes das três associações unificadas se dirigiram à Eunápolis para liberar os carros.

Segundo um dos presidentes, em mensagem agora há pouco dirigida a esse Blog, os veículos já teriam sido liberados.

Que ao menos fique a grande  lição – e são justamente as adversidades que nos fazem crescer e amadurecer - que contra a força do Estado e a legislação brasileira, não tem bloqueio de vias públicas que não possa ser dispersado. Basta o Estado querer. A PM bota todo mundo para correr na hora que ela bem quiser. E se 10 PMs não derem conta, vem 100 e se ainda 100 for pouco, vem 1.000.

Espera-se que essa seja a última vez que isso aconteça em nossa cidade. Ao interditarem a BR os manifestantes perderam totalmente seus direitos e o apoio da sociedade. Agora, terão que percorrer um duro e longo caminho novamente até serem ouvidos pelas nossas autoridades. Uma pena. Mas não foi por falta de avisos.

Ah, querer culpar o motorista do carro que provocou o acidente, sob a alegação de que ele estaria alcoolizado, também não diminui em nada a culpa dos manifestantes, uma vez que sem o bloqueio provavelmente o acidente não teria acontecido. Quem bloqueia uma BR naturalmente assume o risco pelos danos e tragédias porventura  causados. 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

TPL_tt_MAIN_PAGE TPL_tt_CONTACTS TPL_tt_SEARCH