O ex-presidente Lula (PT) segue liderando os cenários em pesquisa de intenções de voto realizada pelo Datafolha, com 29% a 30%, sendo seguido por Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSC). O último vem registrando alta nos levantamentos: tinha 8% em dezembro do ano passado, aumentou para 14% em abril e aparece com 16% (os três índices sempre quando o candidato do PSDB é o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin).

No cenário 1 de primeiro turno, Lula fica à frente com 30% das intenções de voto, seguido de Bolsonaro (16%) e Marina (15%). Alckmin vem em quarto, com 8%; Ciro Gomes (PDT) em quinto, com 5%. Luciana Genro (Psol); Eduardo Jorge (PV); e Ronaldo Caiado (DEM) estão empatados em sexto, com 2%. Brancos e nulos somam 18%, enquanto 2% não souberam ou não opinaram.

No cenário 2, com o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), substituindo Alckmin, Lula mantém os 30%, Marina e Bolsonaro fica empatado com 15% em segundo lugar e o tucano aparece em terceiro, com 10%. Ciro Gomes fica em quarto, com 6%, enquanto Luciana Genro, Eduardo Jorge e Caiado mantêm os 2% cada um. Brancos e nulos somam 16%; 2% não souberam ou não opinaram.

O cenário 3, com Alckmin e o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, Lula segue com 30%; Marina e Bolsonaro continuam também com 15%. Joaquim Barbosa vem em terceiro, com 11%. Geraldo Alckmin fica em quarto, com 8%. Neste cenário, Luciana Genro, Eduardo Jorge e Ronaldo Caiado estacionam em 2%, enquanto reduz ligeiramente a quantidade de brancos e nulos (14%) e 2% não souberam e não opinaram.

O cenário com Barbosa e Doria representa mudanças sutis: Lula cai um ponto percentual (29%) e Marina (15%) abre uma pequena distância de Bolsonaro (13%). Barbosa vem logo em seguida, com 10%, seguido de Doria (9%). Luciana Genro e Eduardo Jorge permanecem com 2%, mas Caiado (1%) perde 1 ponto percentual. Brancos e nulos somam 15% e 2% não souberam ou não opinaram. No cenário 7, figura o juiz Sérgio Moro. Lula obtém 29%, mantendo o patamar. A presença do magistrado, porém, bagunça o segundo lugar: Moro empata com Marina, com 14%. Bolsonaro vem imediatamente depois, com 13%. Alckmin tem 6% das intenções de voto. Como no cenário 6, Luciana Genro e Eduardo Jorge têm 2%; Caiado, 1%.  Brancos e nulos representam 15% e 2% não souberam ou não opinaram.

Sem o PT na disputa, Marina se descola de Bolsonaro: ela lidera com 22% e o deputado federal fica com 16%. Neste cenário, com Joaquim Barbosa, este fica em terceiro (12%), e Alckmin aparece em quarto (9%). Luciana Genro cresce ligeiramente (3%), Eduardo Jorge mantém 2% e Caiado volta aos 2%. O número de brancos e nulos cresce e vai para 23%, sendo superior às intenções de voto de Marina.

Dos entrevistados, 3% não souberam ou não opinaram. O cenário 9 não tem nenhum alvo da Lava Jato entre os candidatos: Marina amplia a liderança, com 27% e Bolsonaro cresce para 18%. Doria aparece em terceiro, com 14%, seguido de Ciro Gomes (12%), em sua melhor pontuação. A quantidade de votos brancos e nulos também aumenta e chega a 26%; 3% não souberam ou não opinaram.

Barbosa tem a menor rejeição: 16%

 

Substituindo Lula pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o resultado é inexpressivo para o PT: ele só aparece em sexto, com 3%, abaixo de Luciana Genro (4%), que obtém sua melhor pontuação. Neste cenário, Marina lidera com 22%, seguida de Bolsonaro (16%) e Joaquim Barbosa (13%). Alckmin fica em quarto, com 10%; Eduardo Jorge e Caiado continuam com 2%. Brancos e nulos ultrapassam o primeiro lugar entre os candidatos e batem os 25%; 3% não souberam ou não opinaram.

Apesar de liderar em todos os cenários, Lula também tem a maior rejeição: 46%. Alckmin vem na sequência, com 34%. Bolsonaro tem 30% de rejeição, próximo a Haddad (28%), Ciro (26%) e Marina (25%). A rejeição vai caindo ponto por ponto: Luciana Genro tem 24%; Caiado, 23%; Moro tem 22%; Eduardo Jorge, 21%; e Doria 20%. Com a menor rejeição, abaixo de duas dezenas, está Joaquim Barbosa, com 16%. Parte do eleitorado rejeita todos os candidatos (3%), na mesma proporção dos votariam em qualquer um deles. 

O Datafolha fez também simulações de segundo turno e, ao contrário do 1º turno, Lula não vence em todos os cenários. Com Alckmin (32%), obtém 45%; mesmo percentual com Doria (34%). Com Marina, ocorre um empate: ambos tem 40% das intenções de voto. Lula venceria ainda Bolsonaro, com 45% contra 32%. Marina também ganharia do deputado, com 49% contra 27%. Alckmin obteria 34%, caso o concorrente fosse Ciro (31%) Ciro (34%) também fica ligeiramente acima de Doria (32%), caso disputassem o 2º turno.  

Se concorresse com Lula (42%), Moro ficaria ligeiramente acima do petista, com 44%. A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 23 de junho, entrevistando 2.771 pessoas em 194 cidades. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

TPL_tt_MAIN_PAGE TPL_tt_CONTACTS TPL_tt_SEARCH