Os funcionários dos Correios terão até sexta-feira (6) para aceitar ou não, a proposta do ministro Emmanoel Pereira, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), apresentada durante audiência de conciliação realizada nesta quarta-feira (4).

A oferta para encerrar a greve, que começou em 19 de setembro, é a seguinte: compensar até 30 de dezembro oito dias de trabalho, o equivalente a 64 horas. Como alguns profissionais trabalham de segunda a sexta, a reposição seria feita aos sábados.

Os dias a serem compensados equivalem ao período em que a Justiça considerou a paralisação abusiva. O TST já tinha determinado a manutenção de 80% do quadro de funcionários em cada agência. Os demais dias da greve, no entanto, seriam descontados.

Assembleias

A proposta será votada pela categoria em assembleia, nos estados em que ocorre a paralisação. Afora a questão dos dias parados e da compensação de horas de trabalho, o ministro propôs manter as cláusulas de negociação original.

Isso significa que estaria excluída a gratificação de incentivo à produtividade e do acordo coletivo 2015/2016. Quanto ao plano de saúde, este permanece sob analise em separado.

Pereira considerou a proposta justa e pediu aos sindicatos e associações que encerrem a paralisação. “Essa greve dos senhores me traz uma preocupação social muito grande”, afirmou.

Por Atribuna

TPL_tt_MAIN_PAGE TPL_tt_CONTACTS TPL_tt_SEARCH