Um estudante de técnicas de enfermagem fez um teste de gravidez "de brincadeira" e o resultado - positivo - acabou revelando um câncer raro espalhado pelo pulmão, peito e crânio. O teste foi realizado após Gerardo Filho, do Ceará, apresentar dores nas costas e expelir sangue na boca. Ao procurar atendimento médico, a suspeita é de que Geraldo apresentava tuberculose.

Durante uma brincadeira no laboratório, Geraldo resolveu fazer o teste de gravidez, que acabou dando positivo e revelado algo de mais grave, que viria a ser o diagnóstico de câncer do mediastino. “Eu não queria abalar minha mãe e minha avó, que tem 91 anos. Pensei em esconder o teste pra saber primeiro o que poderia ser”, explicou o estudante. A mãe acabou descobrindo o exame e levando Geraldo e sua namorada para o posto para refazer os exames. E foi onde o diagnóstico de câncer foi feito. O hormônio beta-HCG - detectado pelo exame de gravidez - cresce em pacientes com alguns tipos de câncer.

De acordo com o médico patologista do Hospital Albert Sabin, Carlos Gustavo Hirth, o tumor de célula germinativa é um tipo de câncer que tem capacidade de gerar tecido placentário. "Parece com placenta, mas é câncer", afirmou. Quatro meses após o diagnóstico, o jovem realizou quatro ciclos de quimioterapia no Instituto Peter Pan, em Fortaleza. Um médico especialista avaliou que o câncer está em estado "adormecido" e que esta seria a melhor hora para fazer a cirurgia.

Para conseguir o dinheiro necessário, R$ 200 mil, para o procedimento cirúrgico e a equipe médica, uma campanha foi realizada pela família. O site #TodosPeloGerardo já arrecadou R$ 20.800. Os valores pedidos não incluem médicos, exames nem eventuais complicações.

Fonte: Bahia Notícias

TPL_tt_MAIN_PAGE TPL_tt_CONTACTS TPL_tt_SEARCH